OFERTAS SOBRE PRODUTOS SELECCIONADOSOFERTAS SOBRE PRODUTOS SELECCIONADOS
TERMINA EM
00
00
HORA
00
MIN.
00
SEG.

O que procura?

Filtrar por

Acabementos

Material

Sala

Preço

Dimensões

  • Comprimento

    Largura

    Altura

Categoria

Produtos

Ordenar por:

Produtos

Filtrar
Ordenar por:
STORIES

Hannun spaces

O eterno verão de Cecilia Renard

Ouça esta história

A fotógrafa menorquina Cecilia Renard retratou, para a Hannun, a sua casa em Sóller, uma pequena cidade situada na costa noroeste de Maiorca. Uma paragem intemporal que nos convida a viver de forma mais calma. Conversámos com ela sobre a sua fonte de inspiração, a sua ligação com as Ilhas Baleares e a magia da fotografia analógica.

PERGUNTA. Fale-nos do seu despertar criativo no mundo da fotografia analógica.

RESPOSTA. Apesar de os meus pais não serem de Menorca, tive o privilégio de nascer e viver na ilha até aos 17 anos, numa casa com vista para o porto de Maó. Cresci a ver o mar e isso permeou a minha identidade artística. Desde que era pequena, a minha mãe sempre me ajudou muito a concentrar-me nos detalhes (e ela ainda o faz), por isso é que acho que as minhas fotografias não captam planos gerais, mas sim momentos.

Lembro-me muito bem da altura em que comecei no mundo da fotografia, aos 16 anos. Tornei-me amiga de uma rapariga que estudava artes, que tinha uma câmara reflex, e emprestou-ma durante uns dias para eu a experimentar. Comecei a tirar fotos aos meus amigos na praia, mais ou menos criativas, e adorei a experiência. Um tempo depois, um amigo meu encontrou uma câmara analógica e ofereceu-ma, e a partir daí fui aprendendo com tentativa e erro.

Cadeira Kiara

P. Cresceu em Menorca e agora vive em Maiorca. No seu trabalho, nota-se que o Mediterrâneo é uma grande fonte de inspiração. Que significado tem para si?

R. A paisagem ajuda, mas o que mais gosto no Mediterrâneo e nas Ilhas Baleares é o facto de terem uma luz super especial que não se encontra em qualquer lado. Vivi em muitos países e custou-me encontrar uma luz tão extraordinária como a que temos aqui. No fundo, apercebo-me de que, quando vivi fora, o meu corpo pediu-me sempre para voltar às ilhas, tenho uma ligação muito forte com esta terra.

Estudei em Madrid, depois em Barcelona, passei algum tempo na Argentina e acabei por viver no México durante três anos, na Cidade do México e em Oaxaca. E apesar de também serem cidades muito inspiradoras no que diz respeito à sua vida cultural e à cor das suas ruas, não encontrava a minha essência. Foi por isso que voltei.

Tábua de corte Merita

P. Que outros cenários a inspiram na hora de tirar fotografias?

R. Inspiro-me muito nas imagens mais quotidianas que encontro quando viajo: as pessoas nos mercados ou a cozinhar. Captar a essência de um país através da gastronomia, por exemplo. Não procuro ir à montanha mais alta para captar a melhor paisagem, nem forçar um cenário artificial, mas sim mostrar o natural e o imperfeito.

Há uns anos, se no espaço encontrasse algum elemento de que não gostasse esteticamente, tirava-o de lá para tirar a fotografia, mas agora costumo deixá-lo, não gosto de alterar a realidade.

Velas aromáticas Eliette

P. Como é o seu dia a dia em Sóller?

R. Viver na serra de Maiorca é extremamente inspirador em muitos sentidos. É uma zona onde não chegou o turismo em massa. A vida é muito mais tranquila nesta parte da ilha.

Uma das coisas que adoro em Maiorca é que não há vida só no verão. No inverno, do nada, podemos montar um piquenique completamente sozinhos na praia, e alucinamos com toda a beleza à nossa volta. Passo o inverno a explorar a ilha, à procura de novas localizações. Raramente preciso de ir a Palma, transformei-me numa velha jovem, mas adoro. Nas cidades, estamos sempre a comprar coisas de que não precisamos, deixamo-nos levar pelas modas, temos de apanhar táxis para não chegar atrasados, ou comer fora porque não pudemos cozinhar. Na aldeia, é tudo muito mais tranquilo, ando sempre a pé porque fica tudo perto, saio para passear com a câmara e vejo o que aparece.

Espelho Bona

P. Acha que a fotografia analógica também é um processo artesanal?

R. Nunca levantei essa questão, mas agora que penso nisso, é isso mesmo. A fotografia analógica é muito artesanal, porque é um processo mais lento, que tem de realizar com mais cuidado, visto que não pode modificar a foto, ou repetir, se não gostar. Com uma câmara analógica, não pode tirar 300 fotos para depois selecionar algumas, como acontece com as digitais. Acho que tem algo de mágico, esperar que as fotos sejam reveladas e não saber como será o resultado final.

Não descarto o digital a 100%. Nalguns projetos mais técnicos, preciso de usar uma câmara digital, porque o objetivo não é tão artístico.

Loiça Oyoze

P. Para além das fotografias, nos seus projetos também desenha os espaços. ¿Que elementos são precisos para comunicar os valores do slow living?

R. Não me concentro tanto na capacidade fotográfica ou na perfeição na técnica. Simplesmente gosto de criar uma atmosfera concreta, toda a curadoria que existe por detrás da foto. Adoro criar espaços simples, que não estejam sobrecarregados, com elementos naturais e artesanais.

Dou muito valor ao que é feito à mão: todas as cerâmicas que tenho em casa foram feitas por mim ou por oleiros que conheço. Além disso, quase todos os meus móveis foram comprados em lojas de antiguidades.

Jarras Amaral

P. Que importância tem, para si, a sustentabilidade e o consumo responsável?

R. A sustentabilidade é fundamental no meu trabalho, pois sei que, se não cuidarmos do planeta, no futuro pode desaparecer o que eu mais gosto neste mundo, estas ilhas. Já é algo que me sai de forma natural, pensar no meio ambiente em todas as minhas pequenas ações. Tento pôr a roupa a lavar menos vezes, usar cosméticos sustentáveis, não comprar nada que venha em embalagens de plástico, levar sempre os meus sacos quando vou às compras, ou uma garrafa de vidro para encher de água em fontes ou nascentes.

Claro que há muitas coisas que não consigo controlar. Por exemplo, por motivos de trabalho, sou obrigada a apanhar muitos aviões para ir ao continente, visto que muitos dos meus projetos não são na ilha. É o meu pequeno espinho.

Mesa de cabeceira Kalenda

P. Como foi trabalhar com a Hannun?

R. Gosto muito que a Hannun não tenha perdido a essência artesanal do começo. Quando estávamos a preparar este projeto, pedi que me enviassem uns pratos de cerâmica que vi no vosso site, e não foi possível, porque ao serem fabricados por encomenda, teriam de ser feitos do zero e isso demora algum tempo. Adoro esses detalhes.

Ao receber os produtos, fiquei muito surpreendida com a qualidade, por exemplo dos têxteis. Também gosto muito dos vossos produtos de cerâmica, acho-os muito semelhantes ao meu estilo de vida. Fotografiar para a Hannun foi muito fácil, porque os vossos produtos estão em harmonia com a minha casa.

Jarra Dorian


Artigos anteriores

ALL

MAKE IT GREEN

TRENDS

NEW IN

HANNUN SPACES

RAISING VOICES

Estilo ibicenco: el mar y la luminosidad llegan a tu hogar

trends

Estilo de Ibiza: o mar e a luminosidade chegam a sua casa

Ideas de decoración para balcones y terrazas pequeñas

trends

Ideias de decoração para varandas e terraços pequenos

MEDITERRANEAN BLISS: la esencia del Mediterráneo en tu terraza

new in

MEDITERRANEAN BLISS: a essência do Mediterrâneo no seu terraço

Una escapada rural, el planazo definitivo del verano

trends

Uma escapadela rural, o melhor plano para este verão

Bases Legales - Sorteo #HannunCorners

sorteo hannun

#HannunCorners | Prize Draw Terms and Conditions

Las mejores ideas para reutilizar muebles de madera

make it green

As melhores ideias para reutilizar móveis de madeira

Transforma tu baño en un ‘green oasis’ de confort

trends

Transforme a sua casa de banho num green oasis de conforto

La decoración más ‘trendy’ para tu casa de campo

trends

A decoração mais ‘trendy’ para a sua casa de campo

El eterno verano mallorquín de Cecilia Renard

Hannun spaces

O eterno verão de Cecilia Renard

Cómo reparar arañazos y golpes en muebles de madera

make it green

Como reparar arranhões e golpes em móveis de madeira

Tus muebles para exterior siempre protegidos: el cuidado más natural

make it green

Os seus móveis de exterior sempre protegidos: o cuidado mais natural

Guía completa:  Cómo elegir mesa de comedor

trends

Guia completo: Como escolher uma mesa de jantar

Ideas originales y eco-friendly para decorar paredes

trends

Ideias originais e eco-friendly para decorar paredes

Todos los beneficios de la madera recuperada

make it green

Todos os benefícios da madeira recuperada

ESNE x Hannun: en busca de los materiales del futuro

raising voices

ESNE x Hannun: em busca dos materiais do futuro

Más primavera que nunca con A HOMEMADE GARDEN

new in

Mais primavera que nunca com A HOMEMADE GARDEN

Una historia visual:  Los secretos detrás de nuestros 'shootings'

Hannun spaces

Uma história visual: Os segredos por detrás dos nossos 'shootings'

Claves para decorar una casa rústica moderna

trends

Chaves para decorar uma casa rústica moderna

YOGA BREATH: un templo de 'sustainable wellness' en tu hogar

new in

YOGA BREATH: um templo de “sustainable wellness” na tua casa

La colección THE WAY WE SEA de Hannun,  premiada con el Gravity Wave Award

make it green

A coleção THE WAY WE SEA da Hannun, premiada com o Gravity Wave Award

Tendencias en decoración 2022  según los interioristas de Hannun

trends

Tendências em decoração 2022 de acordo com os Decoradores de interiores da Hannun

Soulmade Story: transformando el barro en emoción

new in

Soulmade Story: transformando o barro em emoção

Cómo limpiar muebles de madera con productos ecológicos: todo lo que necesitas saber

make it green

Como limpar móveis de madeira com produtos ecológicos: tudo o que necessita saber

El descanso consciente: Nuevas camas y tatamis sostenibles

new in

O descanso consciente: Novas camas e tatamis sustentáveis

¡En Hannun ya somos empresa B Corp®!

raising voices

Em Hannun já somos uma empresa B Corp®!

Decoración navideña sostenible: Inspírate con nuestras 10 ideas

trends

Decoração natalícia sustentável: Inspira-te com as nossas 10 ideias

Por amor al arte: Nueva colección de cerámica artesanal

new in

Por amor à arte: Nova colecção de cerâmica artesanal

¡Nueva colección de láminas! Conoce a nuestros artistas

new in

Nova colecção de impressões! Conheça os nossos artistas

Mesa de comedor de pino Umay

trends

Os 4 tipos de madeira para os móveis mais utilizados

The Way We SEA: Una colección para limpiar el océano de plásticos

make it green

The Way We SEA: Uma coleção para limpar o oceano de plásticos

¡Salimos afuera! Descubre la nueva colección de exteriores

new in

Estamos na rua! Descobre a nova coleção de exteriores

¿Por qué una línea Montessori en Hannun?

raising voices

¿Por qué una línea Montessori en Hannun?

La artesanía no tiene género

raising voices

O artesanato não tem género

¡Basta de residuos! Presentamos nuestra colección de textil sostenible

new in

Basta de resíduos! Apresentamos a nossa coleção de têxtil sustentável

Arranca la primera edición de los PREMIOS HANNUN DE ARTESANÍA

make it green

Arranca a primeira edição dos PRÉMIOS HANNUN EM ARTESANATO

Hannun, sostenibilidad certificada por los sellos FSC y PEFC.

make it green

Hannun, sustentabilidade certificada pelos selos FSC e PEFC.

En Hannun estamos de celebración. ¡Somos el Mejor Rookie E-commerce de los E-commerce Awards 2020!

raising voices

Na Hannun estamos a celebrar. Somos o Melhor Rookie E-commerce dos E-commerce Awards 2020!